segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Projeto de Intervenção

ANA MARIA LOPES DE MARCENA
ATILAS LYRA ALVES
DANIELLE DIAS CAVALCANTE
LORRANY   SANTOS CORREIA
MARCIANE OLIVEIRA CORREIA
RITA DE CÁSSIA BRUNO DA SILVA
SIMONE MARIA DE LIMA
CONSTRUINDO E APRENDENDO: UM NOVO OLHAR NA CONSTRUÇÃO DO PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

1.                JUSTIFICATIVA



O projeto de intervenção: Construindo e Aprendendo: Um novo olhar na construção do planejamento participativo na educação de jovens e adultos é direcionado a todos os alunos/as e educadora da Escola de atuação do Estágio Supervisionado I em Gestão Educacional. Surge após algumas reuniões com a coordenadora pedagógica da Instituição. Neste trabalho apresentaremos uma proposta de intervenção no campo de estágio, como obrigatoriedade da disciplina de estágio supervisionado em gestão escolar, do curso de pedagogia da Universidade Federal de Alagoas - UFAL. Atuaremos intencionalmente em uma instituição localizada no bairro do Tabuleiro dos Martins, na qual discutiremos propostas de intervenção no planejamento participativo.
Auxiliarmos as educadoras da Modalidade da EJA na construção do planejamento participativo a fim de propor  atividades que ajudem no processo de ensino e aprendizagem. Acompanharemos as educadoras levando em conta o seu conhecimento prévio assim construiremos novas perspectivas de aulas através do olhar do estudante da EJA.   
O projeto surge após o entendimento do planejamento participativo como o articulador entre os conhecimentos curriculares e as necessidades socioculturais dos alunos da EJA. Nesse sentido, ele é importante, pois propicia as educadoras formas participativas de construir seus planejamentos tomando como base a realidade social dos alunos.
 Portanto, temos por finalidade oportunizar a esses alunos uma aprendizagem que tenha sentido, significado e parta da realidade sociocultural de cada aluno.
Diante do que nos foi apresentado, decidimos atuar de forma intervencionista para com as propostas apresentadas pela instituição. Uma vez que propiciaremos a interação entre educador e estudante no ideal de aula, em que ambos produzam atividades, dinâmicas e outros exercícios que ajudem na alfabetização desses estudantes. 

1.                PROBLEMA E HIPÓTESE



Como redimensionar o planejamento participativo das educadoras da Educação de Jovens e Adultos - EJA?
            Para realizar o redimensionamento do planejamento participativo é necessário um conhecimento prévio sobre o trabalho desenvolvido em sala de aula. A maioria das escolas apresentam dificuldades na elaboração do seu planejamento, cabendo ao mesmo ser realizado em horários vagos dos educadores.
Nesse sentido, é importante incentivar a realização do planejamento participativo o qual possa auxiliar o professor da EJA a ajudar na aprendizagem do aluno, fazendo com que os próprios alunos interajam em sua aula.

1.                OBJETIVOS


3.1 Objetivo Geral:

Discutir sobre a contribuição do planejamento participativo na melhoria do processo de ensino e aprendizagem na educação de jovens e adultos.

3.2 Objetivos Específicos:


Ø  Orientar os professores da EJA na realização do planejamento participativo;

Ø  Propor uma alternativa de planejamento participativo diferenciada da habitual realizada na escola;

Ø  Possibilitar interação entre gestão, professor e aluno no desenvolvimento da leitura e escrita.

1.                REVISÃO DA LITERATURA



O planejamento participativo tem como concepção atender as necessidades, amenizar ou solucionar problemas, tendo em vista a relação de seus membros veiculados com os interesses de apresentar novas propostas que favoreçam ambas as partes. Segundo Gandin (1994) o planejamento tem um rumo, um horizonte, um lugar de chegada. Trata-se do exemplo das arvores que vão para o sul. Ele destaca a importância de se ter um ideal, um foco, em um conjunto de idéias, no qual os favoreçam. Neste caso as aves têm que resolver seus próprios problemas satisfazendo suas necessidades imediatas.
Partindo do pressuposto de que o ato de planejar tem como base a transformação e a ação, é necessário que se tenha a participação de todos, uma vez que, o planejamento participativo se constitui “numa atividade de trabalho, que se realiza pela integração de todos os setores da atividade humana social, num processo global, para a solução dos problemas comuns” (VIANNA, 1986, p.23).
O que se destaca no planejamento participativo não é só fazer a democratização das decisões que foram estabelecidas, mas para que possa estabelecer as prioridades, para que todas as pessoas envolvidas no processo venham ter voz, fazendo com que assim, encontre soluções para um bem comum.  O planejamento participativo é muito rico, uma vez que, faz permitir uma coordenação de pensamentos, de idéias, faz com que haja o compartilhamento das expectativas, das perspectivas e principalmente das ações. Possibilita também, a comunicação entre todos que fazem parte do processo.
Esse tipo de planejamento faz com que os indivíduos envolvidos participem de três maneiras: a primeira é a colaboração, os sujeitos se esforçam mais, trabalham com vontade, sabendo que fez algo para ajudar. A segunda forma é no momento da tomada de decisão, pois com a colaboração de outros é possível observar vários caminhos diferenciados para a solução de determinado problema. E por ultimo, a construção em conjunto, nessa parte, é muito importante que todos estejam unidos, tendo como objetivo encontrar soluções para resolver ou minimizar alguns problemas pertinentes.

Para Xavier (2000) apud Klosouski (2007), o planejamento na educação é entendido em dois níveis, são eles: macro relacionado ao sistema em nível nacional estabelecido pelo governo. Nesse caso o planejamento está envolvido diretamente com as políticas públicas em nível Federal, Estadual e Municipal. No mesmo espaço estão as Secretarias, Ministério, os Conselhos de Educação e o Plano de Governo. E existem muitos pensadores a exemplo de Pedro Demo, que em suas pesquisas propõe planos estratégicos e táticos e operacionais. Podemos destacar a segunda vertente do planejamento a nível macro, que é o acadêmico; feito não só de objetivos, mas, dispõe também pela estrutura de discurso que utiliza.
A segunda acepção de planejamento participativo é o nível micro, que também se divide em dois enforques: vertente técnica e a participativa, denominada também de critica; que ocupam o espaço no planejamento e na avaliação ligados a escola, principalmente em sala de aula. 
Nesta perspectiva planejamento participativo atinge os níveis escolares e a sociedade. Pois tratasse de um processo continuo de trabalho para atender as necessidades no âmbito individual e coletivo. Atendendo aspectos econômico, sociais e políticos.   Segundo Libâno (1992, p. 221) apud Klosouski (2007) Planejamento Escolar “é um processo de racionalização, organização e coordenação da ação docente, articulando a atividade escolar e a problemática do contexto social” .

1.                PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS



Acontecerá no período de agosto à dezembro de 2011 no turno da noite durante dois dias na semana, de modo que os estagiários se dividirão em dois grupos e se alternarão durante esse dias permitindo que todos possam trabalhar coletivamente.
O planejamento e o desenvolvimento das atividades acontecerão ao longo do projeto, pois trata-se do levantamento dos subsídios teóricos e metodológicos que utilizaremos no desenvolvimento das atividades, dentre eles: apresentações de vídeos, dinâmicas, estudo de textos, debates  e construção de planos de aula participativas.
Por fim faremos a Avaliação que será realizada de duas maneiras, a primeira delas processual, ou seja, ao longo do desenvolver do projeto e a segunda ao término do mesmo, na qual o grupo fará uma auto-avaliação dos aprendizados alcançados pelas educadoras. Observaremos na auto-avaliação a contribuição dessa experiência na nossa formação, bem como analisaremos os aspectos alcançados e aqueles que precisam ser revistos.
Finalizaremos nossas intervenções com o Sarau, na qual haverá a apresentação de contagem de histórias e declamação de poesias envolvendo toda a escola a fim de nos despedimos de toda a equipe que nos acolheu durante essa jornada de suma importância para nossa formação.

REFERÊNCIAS


DANILO, Gandin. A prática do planejamento participativo: na educação e em outras instituições, grupos e movimentos dos campos cultural, social, político, religioso e governamental.- 12 ed. Petrópolis, RJ. Vozes, 1994
VIANNA, Ilca Oliveira de Almeida. Planejamento participativo na escola. São Paulo: E. P. U., 1986.
KLOSOUSKI, Simone Scorsim. Planejamento de ensino como ferramenta básica do processo ensino-aprendizagem. Unicentro – Revista Eletrônica Ed. 5 2008, Ed. Cortez SP. acessado em 30 de set. 2009 disponível em: <http://web03.unicentro.br/especializacao/Revista_Pos/P%C3%A1ginas/5%20Edi%C3%A7%C3%A3o/Humanas/PDF/7-Ed5_CH-Plane.pdf>

Nenhum comentário:

Postar um comentário